O Verdadeiro valor dos dados

Você já pensou nisso???

Bom dia meu amigo! Tudo bem nesta quarta-feira? Contagem regressiva para o feriadão de Carnaval? Eu confesso que não gosto de Carnaval, mas o feriado este ano me será agradável e necessário. Como comentei DBA também é gente lembra?

Hoje quero comentar sobre um assunto muito interessante na minha opinião.
Como todos sabem também sou instrutor Oracle e nesta semana estou dando um treinamento no centro oficial Oracle, logo após terminar o período da manhã, um pouco antes de sair para o almoço, um dos meus alunos perguntou: “E aí professor, vai almoçar onde hoje??” Eu comentei com ele que hoje teria que fazer um trabalho na hora do almoço. Quando ele me disse: “Já sei! Vai apagar fogo!…” Neste momento rimos juntos, pois ele havia dado a exata definição do serviço que eu teria que fazer. “Apagar um incêndio”.

É, fazemos parte de uma classe de profissionais que também apagam fogo, não literalmente, mas que muitas vezes podem ocasionar perdas iguais. O quê? está achando que sou exagerado e que um problema no banco de dados não tem nada a ver com um incêndio??? Posso te convencer do contrário, ou pelo menos tentar?
Vou contar duas pequenas histórias reais que com certeza irão fazer você entender certas coisas.

História 1 – Perdeu tudo e não perdeu nada.
Certa vez uma grande empresa teve um problema na central de TI os antigos CPDs (lembram deste nome? rsrsrs) este problema na verdade foi ocasionado por uma descarga elétrica que fez com que queimasse – literalmente – tudo dentro da sala. Quando os bombeiros chegaram, pouco havia para se fazer, tendo em vista que componentes eletrônicos queimam muito rápido e nada havia sobrado. Posso te dizer com certeza que nem um disquete ficou intacto (lembra deles também né?? sessão nostalgia de TI. rsrsrsrs). Realmente não é maneira de dizer quando falo que “perdeu-se tudo”.
Porém, a empresa tinha uma política de preparação para situações de desastre muito grande, e todos os seus dados além de bem “backupeados” ainda existiam  em um ambiente de contingência em outro local físico e que naturalmente não foi afetado pelo raio. Sabe aquela máxima que um raio não cai duas vezes sobre a mesma cabeça? Neste momento adaptei para “Um raio não cai duas vezes na mesma empresa…”
Tendo este ambiente de contingência, todos os sistemas da empresa estavam no ar em menos duas horas. A empresa não teve prejuízo financeiro nenhum, tendo em vista que a sala da TI estava  segurada contra danos inclusive advindos de intempéries. Importante verificar se seu seguro cobre isso hein?!?!?! – Fica a dica. A vida seguiu normalmente e hoje é uma empresa de grande porte no estado de Santa Catarina.

História 2 – Não perdeu nada e perdeu tudo.
Esta segunda história aconteceu no nordeste do Brasil, onde certa vez me chamaram para montar um planejamento de recuperação em caso de desastre. Quando cheguei lá fiquei sabendo que a verdadeira motivação do contato era pois uma empresa de porte médio da região havia quebrado depois de um problema na TI deixando os outros CIOs das demais empresas muito preocupados.
A princípio não consegui entender, porém o CIO que me contratou me contou o fato.
Uma  certa empresa de lá porte médio (Não posso citar o nome por razões óbvias) nunca deu muita importância em manter um bom plano de recuperação rápida em caso de catástrofes, nunca se preocupou muito com tecnologias para manter cópias de segurança, chegando a fazer seus backups dentro do próprio local (servidor) onde estavam os dados… 🙁 PASMEM!! Isso acontece com maior frequência do que você imagina.Ocorreu que um certo dia, uma descarga elétrica bem parecida com a empresa da primeira história aconteceu lá. Porém, não chegou a queimar nada, pois a empresa tinha uma equipe TOP, POWER, MASTER, BLASTER de incêndio. Ocorrendo somente uma sobrecarga nos sistemas elétricos dos servidores. Neste momento todos os bancos de dados das aplicações se tornaram indisponíveis, seu backups foram perdidos sem possibilidade de retorno, pois como comentei, estavam todos no mesmo local dos servidores.
Muitas consultorias foram chamadas para tentar restaurar os dados todas sem sucesso.

Infelizmente como resultado, a empresa não suportou a perda dos dados que eram seu maior patrimônio devido ao ramo de atividade e acabou tendo que fechar as portas deixando pessoas desempregadas e dívidas enormes.

ACREDITE!! Isso aconteceu de verdade! EU conheci as pessoas.

Por isso eu sempre falo/pergunto, comento com meus clientes em consultoria e antes de fazer um projeto de Disaster Recovery, ou qualquer tipo de projeto que precise convencer a investir em armazenamento seguro:

Qual o valor dos seus dados?

O que aconteceria de de repente sua empresa perdesse tudo que tem registrado no sistema?

Acredite em mim quando digo que o maior patrimônio de uma empresa pode estar no banco de dados que ela possui.

Pense nisso da próxima vez que for dimensionar o seu ambiente em questões de contingenciamento e destine recurso correto para local correto. Não adianta ter equipe Blaster sem ferramenta de trabalho.

Grande abraço!  E é claro… Foco na Meta!

Sobre raul andrade

DBA e Instrutor Oracle, apaixonado pela minha família e por ensinar.
Esta entrada foi publicada em Segurança de dados. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta